fundo-gradiente-tons-de-verde.jpg

Balanite é a inflamação da mucosa que reveste a glande (cabeça do pênis) associada ou não a uma infecção, que ocorre especialmente em homens portadores de fimose. Quando o prepúcio (pele que recobre a glande e que pode ser tracionada para expô-la glande) também é acometido, usa-se o termo balanopostite.

Tanto em adultos quanto em crianças a balanite/balanopostite pode ser originada de higiene inadequada, dermatite irritante de contato, trauma local, infecção bacteriana ou fúngica (cândida albicans).

A falta de hábitos regulares de higiene do pênis pode levar ao acúmulo de uma substância esbranquiçada, o esmegma (associação de células mortas descamadas e óleos corporais), que em ambiente propício pode levar à multiplicação de micro-organismos causando inflamação/infecção.

As balanites também estão frequentemente associadas a agentes infecciosos transmitidos durante a relação sexual com parceiro(a) infectado(a), mas também pode decorrer de fatores não-infecciosos (doenças de pele, traumas, alergias). O câncer de pênis também pode ser manifestar na forma de balanite.

Principais sintomas - Além da vermelhidão na cabeça do pênis, coceira e inchaço, a balanite pode provocar outros sintomas como:

  • Coceira intensa;

  • Mau cheiro;

  • Aumento da sensibilidade;

  • Ligeiro inchaço da cabeça do pênis;

  • Presença de corrimento branco;

  • Dor ou queimação ao urinar.

 

A principal causa de balanite é a candidíase, que acontece quando o fungo Candida albicans consegue se desenvolver em excesso e causar uma infecção nas camadas mais superficiais do pênis.

No entanto, existem outras causas que podem causar irritação no pênis. Algumas são mais simples, como má higiene, uso de algum novo medicamento ou alergia a algum produto de higiene ou cueca, enquanto outras podem ser mais graves, incluindo infecções por bactérias, doenças sexualmente transmissíveis, diabetes ou lesões. Além disso, algumas doenças de pele, como eczema ou psoríase, também podem surgir na região íntima, causando balanite.

Prevenção

Boa higiene (com retração do prepúcio), postectomia ou circuncisão, tratamento da(o) parceira(o) e uso de preservativo nas relações sexuais são os melhores métodos de prevenção das balanites, além de tratamentos tópicos com antibacterianos e anti-fúngicos. Em pacientes diabéticos o controle da infecção pode ser mais difícil.

Quando surgem os primeiros sintomas de balanite é importante consultar o urologista, para iniciar o tratamento com pomadas e medicação adequadas e acabar com o desconforto.

Casos de infecção que se repetem frequentemente, pode ser necessária uma cirurgia para a retirada da pele em excesso no pênis (postectomia ou circuncisão).

Saiba mais
Prevenção é Saúde
Faça o agendamento online. 
É fácil, rápido e seguro.